Loading...
O Instituto2019-05-20T18:13:38+00:00

O Instituto

O Instituto Brasileiro de Psicologia Biodinâmica (IBPB) nasceu informalmente em 1993, a partir de um Curso de Massagem Biodinâmica com duração de um ano, ministrado por André Samson, que havia chegado há pouco tempo de Londres, onde fez a formação completa em Psicologia Biodinâmica com Gerda Boyesen, e por Ricardo Amaral Rego, que na época lecionava biodinâmica e psicoterapia corporal reichiana em São Paulo.

Dois grupos foram formados, com uma continuação em 1994, a pedido dos alunos. Neste mesmo ano surgiu a oportunidade de viajar para Londres e participar de um workshop com Gerda, e grande parte dos alunos esteve nesse evento. A partir dessa experiência, Gerda reconheceu o trabalho dos dois professores e dos alunos, apoiando a ideia de montar um curso de formação completo em São Paulo, seguindo os moldes dos cursos ministrados na Europa. André e Ricardo tornaram-se, então, os Trainers responsáveis, reconhecidos por Gerda e pelo Instituto de Londres.

Ao completar os quatro anos de formação em 1996, os alunos da primeira turma do IBPB tornaram-se os primeiros profissionais formados em Psicologia Biodinâmica no Brasil. Vários profissionais, membros destas e de outras turmas, são hoje profissionais destacados no campo da psicoterapia corporal, muitos deles professores do Curso de Formação em  Psicologia Biodinâmica.

A partir de 1995, várias novas turmas de formação se constituíram. Outros trainers europeus passaram a participar do nosso curso, como Ebba Boyesen e Celeste Hauser. Em 1996, foi realizado, em Londres, mais um workshop de Gerda Boyesen exclusivo para os nossos alunos.

O Instituto Brasileiro de Psicologia Biodinâmica foi constituído legalmente em 1997, com André e Ricardo como seus diretores responsáveis. Nesse mesmo ano teve início a primeira turma de formação em Vitória/ES.

Seguiu-se a esta época um período difícil para o Instituto: André Samson adoece e vem a falecer em julho de 2002. Com o luto, o Instituto sofre uma retração das atividades, mas gradualmente Ricardo Rego, agora seu único diretor, fez com que fossem retomadas e ampliadas as atividades do Instituto.

Com isso, novas turmas foram sendo abertas em São Paulo a partir de 2003, e o Instituto expandiu-se geograficamente, passando a oferecer o Curso de Formação em outras localidades, como Curitiba (2006), Taubaté (2007), Natal (2010), Rio de Janeiro (2011) e Vitória (2016).Em Curitiba, dois grupos já completaram a formação. Em Taubaté, temos três turmas já formadas. Em Vitória, temos uma turma formada em 2018 e outra em andamento. No Rio de Janeiro, temos uma turma formada em 2014 e outra turma em andamento. Na cidade de São Paulo, a 15ª turma completou o curso em 2018 e existe uma turma em andamento.

Na implantação de cursos fora de São Paulo, contamos com profissionais que se dispõem a organizar o curso, cuidando do contato com os alunos e assessorando em assuntos de viagem e hospedagem. É um período de muito esforço para fazer a semente brotar com vigor, e é importante reconhecer o empenho destas pessoas na difusão do conhecimento biodinâmico. A partir da segunda turma, a estrutura se amplia, e podemos contar com profissionais já formados para atendimento dos alunos, monitoria dos grupos e a incorporação de professores locais.

Ainda em 2001, foi fundada a Clínica Social Biodinâmica, que funciona de forma autônoma, sem vínculo formal com o IBPB. Seu objetivo é atender a população de baixa renda.

A partir de 2008 começou a ser feita uma reformulação da estrutura do IBPB, com a criação de Comissões (Ensino, Comunicação e Eventos) e a descentralização de funções. Com isto, uma nova geração passou participar da gestão do IBPB, dando um impulso importante ao crescimento e ao fortalecimento da nossa instituição.

Os núcleos fora de São Paulo se desenvolvem e vão ganhando autonomia administrativa e didática. Associados ao IBPB, os cursos em Curitiba são agora organizados por Helen Guaresi. Em Taubaté, pelo Instituto Biomater, dirigido por Sandra Milessi. No Rio de Janeiro, pelo Conatus, dirigido por Ana Cristina Teixeira, Leda Rebello e Regina Lucia Tavares.

Constantemente são realizados eventos, como cursos de extensão, palestras abertas ao público sobre temas gerais, grupos de estudo e Jornadas de Biodinâmica onde professores, alunos e ex-alunos apresentam palestras e vivências.

Periodicamente fazemos BOLETINS nos quais registramos as atividades e eventos, as novidades, as pessoas que estão envolvidas na atividades e tudo mais que envolve a vida do IBPB. Clique abaixo para saber mais sobre tudo isso:

Boletim 1 – junho de 2012

Boletim 2 – fevereiro de 2013

Boletim 3 – fevereiro de 2015

Missão, Visão e Valores

Missão
Nossa missão é desenvolver e promover a ciência e a prática da Psicologia Biodinâmica de um modo ético, criativo, profissional e afetivo. Para isso, realizamos cursos, produzimos conhecimento e proporcionamos atendimentos.

Visão
Queremos nos tornar referência no ensino e na propagação da Psicologia Biodinâmica, produzindo conhecimento voltado para a qualidade de vida do ser humano, promovendo a saúde mental em conexão com seus aspectos científicos, artísticos, culturais e políticos.

Valores
Amor, trabalho, conhecimento, prazer e evolução.

Diálogos
Promovemos o diálogo e o debate científico com outras escolas de psicoterapia, tendo em vista o aprimoramento contínuo do conhecimento. Apoiamos as pesquisas e o desenvolvimento teóricos e técnicos no campo da psicologia clínica.

Estamos abertos à colaboração com todos que se interessem pela promoção da saúde mental em conexão com seus aspectos científicos, artísticos, culturais e políticos, de modo a promover uma vida digna e plena.

Carta de Princípios

Nesta carta estão os princípios básicos que fundamentam a atividade cotidiana do Instituto, seu planejamento geral e as normas de conduta de diretores, professores e alunos:

Humanismo – o ser humano é o valor primordial a ser considerado em toda e qualquer decisão ou proposta, em toda e qualquer teoria e prática.

Natureza (Holismo) – somos parte de grupos humanos, somos parte da humanidade como um todo, que é parte dos seres vivos, partículas de um imenso universo. Não é possível entender cada um sem entender o todo.

Amor e Ódio – o ser humano possui uma forte propensão para o ódio, a inveja, a resignação e a destruição. Porém ainda mais fortes são as tendências para o amor, a esperança, a gratidão e a construção. Inclusive porque se assim não fosse, já teríamos desaparecido enquanto espécie há um longo tempo.

Vida – como seres vivos que gostam de viver e desejam propagar a vida, valorizamos o sexo, as crianças, o prazer e a vitalidade do organismo.

Razão e Emoção – já que somos seres racionais, é importante desenvolver a razão e o senso crítico, sem achar que isso esgota os horizontes. Uma pessoa racional usa, desenvolve e desfruta de todas as suas capacidades, incluindo aí os aspectos emocionais e irracionais da natureza humana.

Brincar – uma das peculiaridades do ser humano é a capacidade de brincar ao longo de toda a vida, de manter aspectos lúdicos em suas atividades, de rir de si próprio e do mundo. Entendemos que a manutenção e o desenvolvimento disto constitui um dos principais elementos da saúde mental e emocional.

Criatividade – seu desenvolvimento é talvez a única chance de dar conta dos desafios e complexidades da existência.

Singularidade – cada ser humano é único e deve ser compreendido e respeitado em sua especificidade.

Relação – o ser físico e psíquico é fruto de uma relação, forma-se e desenvolve-se por meio de relações, dá sentido à existência através de relações. Relacionar-se é para o humano como a água para o peixe.

Tolerância – contra o preconceito e a estreiteza de ideias, é fundamental sustentar e desenvolver a capacidade de aceitar, poder dialogar e enriquecer-se internamente com a diversidade de manifestações do fenômeno humano em seus aspectos étnicos, culturais, religiosos, sexuais, ideológicos e econômicos.

Respeito – na relação entre as pessoas, o ideal é que cada um tratasse seus semelhantes com amor e respeito. O amor se pode esperar, mas não se pode cobrar, pois não é possível controlar os sentimentos e acreditamos que a falsidade e a hipocrisia não são boas bases para a construção de uma relação verdadeira. Porém o respeito sim se pode exigir, e sua prática é uma condição essencial para uma convivência criativa e democrática.

Espontaneidade e Disciplina – são polos complementares e não antagônicos. Ser fiel à sua própria essência e permitir que o fluxo vital seja expresso nos grandes e pequenos gestos. Tornar-se capaz de cultivar o controle sobre si mesmo como forma de atingir metas mais elevadas e constituir uma presença construtiva no mundo.

Espiritualidade – este é um caminho que se apresenta a alguns no decorrer do desenvolvimento pessoal. Significa vibrar em si certas cordas sutis que re-ligam a uma ordem maior e que se manifestam especialmente nos pequenos gestos do dia a dia.

Objetivos

– Promover a difusão da Psicologia Biodinâmica no Brasil, fazendo com que os princípios e práticas biodinâmicos sejam conhecidos e utilizados por especialistas, instituições e pelo público em geral.

– Formar analistas biodinâmicos, mantendo elevados padrões de treinamento nos aspectos éticos, teóricos e clínicos.

– Apoiar as pesquisas e desenvolvimentos teóricos e técnicos dentro da área da psicologia, especialmente em relação às abordagens corporais.

– Estimular as publicações científicas e apresentações dos analistas biodinâmicos em congressos, debates, palestras e outras formas de desenvolvimento científico.

– Incentivar a prática do diálogo e o debate científico com outras escolas de psicoterapia, bem como com outras abordagens ligadas à saúde.

– Promover a conexão dos profissionais brasileiros com a comunidade biodinâmica mundial.

– Providenciar o desenvolvimento de programas de aprimoramento profissional para os analistas biodinâmicos formados.

– Ajudar no esforço coletivo para que cada ser humano tenha uma vida digna e plena em todos os aspectos.